5 de junho de 2007

"La guitarre" de Henri Matisse


Só consigo cantar se gosto de me ouvir.
Mas quando gosto muito, comovo-me.
Choro quando as palavras me tocam fundo, nalguma coisa que me doi.

Quando me emociono, quando canto de um modo tão intenso que chego a chorar, não tem nada a ver com o público ou com o meu estado de espírito, não tem a ver com estar apaixonada ou não.

Nem sei como chamar a isto.
Talvez eu não seja criadora mas quando canto, estou a inventar.

Amália Rodrigues
in Público, Outubro 1999

1 comentário:

Maria disse...

É isto o acto criador.
Expoente máximo de sentires.

Maria