6 de setembro de 2008

"L' étoile matinale" de Juan Miró


Como é que encontrava todas as minhas ideias para quadros? Pois bem, à noite, já tarde, voltava ao meu atelier na rua Blomet e deitava-me, às vezes, sem sequer ter jantado.
Tinha sensações que anotava no meu caderno.

Via aparecer formas no tecto.

Juan Miró
in "Miró"
Janeiro 2008

2 comentários:

Anónimo disse...

..... fechar os olhos e ver .... g.

comboio turbulento disse...

Ver para além do claramente visto. Não pintar o que se vê mas o que se sente. Aí está a diferença.