15 de fevereiro de 2009

M. Chagall


Esta é a história de uma mulher e de um homem que se amaram plenamente, salvando-se assim de uma existência vulgar.Guardei-a na memória de forma a que o tempo a não desgastasse e é só agora, nas noites silenciosas deste lugar, que finalmente posso contá-la.
Fá-lo-ei por eles e por outros que me confiaram as suas vidas, dizendo: toma, escreve, para que o vento não o apague.

Isabel Allende
in "De amor e de sombra"
Agosto 1988

2 comentários:

comboio turbulento disse...

eu não apagaria. Excelente, as usual

Anónimo disse...

Ficou escrito. Nada o apagará! Obrigada, querida amiga. Beijos!
Filipe e André