8 de dezembro de 2011

"Petite Fleur" de Amélie Vuillon


Acontece é que em certos momentos, sinto que uma indomável força me obriga a tentar descobrir o que não sei ainda o que é: qualquer coisa que fica entre a procura do mapa do tesouro e a receita que nos livrará da morte.
Estou certo de que os indícios andam dispersos pelo mundo, mas, ao mesmo tempo, desconfio que esses segredos são capazes de estar escondidos debaixo de uma pedra do nosso jardim, ali mesmo ao alcance da nossa mão.

António Alçada Baptista
in "O Riso de Deus"
Fevereiro 1994

1 comentário:

comboio turbulento disse...

por que razão uma flor não há-se nascer numa pedra? lindo postal , as usual