8 de maio de 2011

" Rocce a Belle-Ile" de Claude Monet

Na minha língua,
vê-se o mar.

Vergílio Ferreira

3 comentários:

iMia disse...

A Mia gostou muito deste. E eu também. Não sei porquê, talvez porque tenha, como sabes, a mania de beber água directamente da torneira. Ela, a Mia.Eu não.

Maria disse...

Sinto no Mar a mais perfeita definição de língua materna.
A língua em que se chora, a língua em que se ri!


Deixo-te um beijo com sabor Amar

Maria

Maria disse...

Ai caramba! (como se diz lá pra América Latina)

É impressionante a força e a beleza dos teus postais.
Parabéns ó pá!

Beijo

Maria