22 de maio de 2007



A vida não é medida pelo número de vezes que respiraste, mas pelos momentos em que perdeste o fôlego de tanto rir de surpresa...de êxtase...de felicidade.

Anónimo
Junho 2006

3 comentários:

Raul Henriques disse...

A vida é medida, conforme...
Medimo-la pelas fatias boas que dela já comemos, quando estamos bem.
E pelas chatices, nos momentos que nos correm mal.
Por mim, prefiro, de facto, aquela bitola.
E blogues como este, despretensiosos mas originais, e, sobretudo cheios de cores - todas elas da esperança - ajudam muito.
Obrigado pela tua amizade.

Maria disse...

A vida é, no dizer de Vinicius,,,"A arte do encontro".
Acasos felizes que se encontram, que se perdem...
Resta a viagem,mensageira na osmose de um beijo, ainda por crescer.
Pelos dados, pelos apetecidos, e sobretudo por todos aqueles cuja vontade não se fez cumprir, um everest de beijos (repenicados).

Maria

iMia disse...

a Vera olhou com particular atenção para este postal e pediu-me para to dizer